No mesmo passo em que trabalha com ações para enfrentar a crise hídrica nesses meses do segundo semestre deste ano, a Agência Nacional de Águas (ANA) já trabalha com um cenário para 2018. De acordo com a instituição, estão sendo analisadas três medidas para o enfrentamento a estiagem durante o ano que vem. As propostas foram encaminhadas ao Ministério da Integração Nacional e a ANA aguarda uma resposta do Governo Federal para coloca-las em prática já em 2018.

“É muito difícil prevê o que vai acontecer em 2018, depende muito as chuvas que vão vir e a gente sempre espera que a situação melhore. Contudo, a gente sempre trabalha com um cenário mais pessimista, temos que estar sempre preparados para o cenário mais pessimista e claro que esse cenário mais pessimista é a continuidade da estiagem”, explicou Patrick Thomas, superintendente adjunto da ANA, Patrick Thomas.

De acordo com ele, “nós temos três ações emergenciais que já foram indicadas pela ANA ao Ministério da Integração Nacional. A primeira é fazer a ligação dos poços de Afonso Bezerra/RN com a região de Pendências/RN e as outras duas ações são instalar captações flutuantes dentro reservatório Armando Ribeiro Gonçalves para atender aos dois sistemas adutores: central-sertão-cabugi e o Jerônimo Rosado, que atende a região de Mossoró/RN, Assú/RN e outras cidades”, ressaltou.