O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Piancó-Piranhas-Açu, Paulo Varella, participou de reuniões a diretoria e com técnicos da Agência Nacional de Água – ANA na última sexta-feira (23/02). Ele esteve acompanhado do secretário adjunto da Semarh-RN, Mairton França e teve a oportunidade de se reunir com o diretor da ANA, Oscar Cordeiro.

“Na pauta dessa reunião com Oscar, nós tratamos da finalização da outorga da obra da Barragem de Oiticica, e já adianto que ficou tudo muito bem encaminhado, e do desafio da gestão na Bacia com o advento da chegada das águas da transposição. O Dr. Oscar acha muito importante que essas discussões ocorram no “âmbito” do comitê para que possamos agregar todos os interessados”, destacou Paulo Varella.

Além disso, foi solicitado da direção da ANA, ajuda para o enfrentamento ao tema segurança de barragem. “Este é outro assunto bastante importante que precisamos discutir com toda a bacia e, para isso, precisamos do apoio da ANA, isso nós já conseguimos com a nova direção”, explicou o presidente do CBH PPA.

Paulo Varella também esteve reunido com a nova presidente da ANA, Christianne Dias Ferreira. “Esse encontro foi para mantermos o nosso primeiro encontro. Contudo, acertei com a Presidente que enviaremos um ofício para solicitar uma visita oficial da Diretoria do CBH- PPA com pauta definida para tratarmos das questões referentes à gestão das Águas na Bacia. É importante ressaltar que nessa reunião o diretor Ricardo Andrade também participou”, disse.

Reunião com técnicos

Em outro momento na ANA, o presidente do CBH PPA esteve reunido com os técnicos Rodrigo Flexa, superintendente de regulação, e Wesley Gabrielli, coordenador de marcos regulatórios.

“Nessa outra reunião discutimos a questão da vazão. Após contato com a Paraíba ficou acordado a redução da defluencia de Curemas para 400l/s. Num primeiro momento, havia se pensado em fechar totalmente, já tendo sido inclusive contactado a comissão de alocação. Entretanto em virtude do impacto dessa ação na área imediatamente à jusante, ficou acertado num primeiro momento reduzir para 400 e gradualmente (dependendo das chuvas) se proceder outras reduções”, finalizou Paulo Varella.