O Projeto de Reúso de Água desenvolvido nos municípios da bacia do Piranhas-Açu está na fase dos estudos preliminares. A informação foi confirmada pelo professor do Instituto Nacional do Semiárido – INSA, Daniel Duarte.

Ele esteve presente na reunião sobre o projeto que aconteceu nesta terça-feira (11/12) na sede do Centro de Apoio ao CBH PPA, no auditório da ADESE, em Caicó/RN. A reunião contou com a presença dos representantes dos municípios contemplados com o projeto, técnicos do INSA, técnicos da empresa INCIBRA (que desenvolve o projeto técnico) e do coordenador do Centro de Apoio ao CBH PPA, Emídio Gonçalves.

“Não podemos simplesmente chegar e implantar, precisamos do estudo preliminar. Esse estudo foi apresentado nesta reunião, foram feitos uma série de observações e agora vamos passar para um projeto básico até chegarmos a projeto final. Temos aí esse intervalo de tempo e, acredito, que em março do próximo ano já poderemos iniciar o projeto executivo, que é a prática do reúso de água”, disse o professor Daniel.

Sobre o projeto executivo, que é a implantação definitiva do reúso, o professor explicou que, “começa justamente pelos locais que estão recebendo o tratamento de esgoto. Foram detectadas várias falhas que precisam ser resolvidas urgentemente, senão vai complicar o projeto mais lá na frente. Contudo, esse problema das estações de tratamento é fácil de resolução, as vezes é uma limpeza, as vezes é uma questão de aterro da área ou até mesmo uma drenagem. Resolvido isso, vem a utilização da água, que é o projeto de reúso de água propriamente dito”.

Em relação a duração do projeto, de acordo com Daniel Duarte, “foi conversado e discutido nessa reunião. Eu sugeri que tenha uma duração de três para acompanhamento. É uma ideia nova e culturalmente não faz parte do nosso dia-a-dia. Por isso, é importante esse acompanhamento. Agora, depois desses três anos, quem vai dizer se o projeto deve continuar ou não é a vontade dos beneficiários desse projeto, que são os agricultores”, ressaltou.

O Projeto de Reúso de Água é desenvolvido nos município de Serra Negra do Norte, São Fernando e Jucurutu, no Rio Grande do Norte e em Itaporanga, na Paraíba. Idealizado pelo CBH PPA, o projeto é financiado pela Agência Nacional de Água e é pioneiro na região.

“É uma atividade pioneira e uma grande atividade para o semiárido porque envolve a recuperação das matas ciliares com água de reúso e o esgoto que hoje faz mal ao rio vai fazer bem após o projeto”, finalizou Daniel.